Polícia Federal registra o maior número de novas armas em 13 anos

A PF (Polícia Federal) registrou 188.505 novas armas de fogo de janeiro a novembro de 2021. O número representa alta de 6,2% ante os 12 meses de 2020. É o maior em 13 anos, mesmo sem os dados referentes a dezembro.

O novo recorde confirma a tendência de alta nesses números desde 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro. Naquele ano, o número de novos registros saltou de 51 mil para 94 mil armas, um crescimento de 84%. A PF cadastrou 460.351 armas em 35 meses de Jair Bolsonaro (PL) no Planalto.

No entanto, o número de novas armas registradas no Brasil nos 11 meses até novembro é maior: foram 449.746 unidades. Essa é a quantidade atingida quando soma-se os registros realizados pela PF aos cadastrados feitos pelo Exército Brasileiro –os militares controlam o mercado voltado para os CACs (caçadores, atiradores e colecionadores) e profissionais de segurança e das Forças Armadas que fazem uso pessoal de armas.

Os registros saltaram quando comparados aos períodos equivalentes dos governos anteriores. Houve alta de 228% na comparação com os 36 meses até dezembro de 2017 (3 anos do governo Dilma Rousseff/Michel Temer). E de 370% em relação aos 36 meses até dezembro de 2013 (1º governo Dilma).

O aumento da circulação de armas, estimulado pelo governo federal, teve outros reflexos: o surgimento de mais lojas de armamento e munição e de clubes de tiro. Até o fim do mês passado, o Exército havia autorizado a abertura de 1.709 lojas e clubes.

Poder 360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.