Livro “Horto” de Auta de Souza é relançado em conformidade com a primeira edição de 1900

O folclorista Câmara Cascudo referia-se à conterrânea Auta de Souza como “a maior poetisa mística do Brasil”. A célebre potiguar deixou um único livro, “Horto”. Desde então, o livro de poemas foi mutilado por várias alterações nas edições que sucederam a primeira, a ponto de comprometer seriamente a originalidade da obra da jovem poetisa macaibense. Foi por essa razão que Carlos Castim e Fábio Fidelis, em vigoroso trabalho de arqueologia literária, dedicaram-se a reescrevê-lo, de maneira absolutamente fidedigna à primeira edição de 1900, a única lida, aceita e abraçada por Auta de Souza.

O propósito do projeto é resgatar a originalidade do livro e o respeito à memória da autora. “Esse trabalho envolveu uma cuidadosa pesquisa de todas as edições já lançadas no mercado, além dos manuscritos, ‘Dhálias’ e ‘Horto’. O resultado consiste numa edição pequena e numerada. A sensação é estar em posse da primeira edição, de 1900, com a diferença de ser acrescida de notas informativas sobre cada poema alterado, além de pequenos comentários de Câmara Cascudo extraídos da biografia ‘Vida Breve de Auta de Souza’ alusivos aos referidos cânticos”, conclui Castim.

Toda a renda obtida com a venda dos livros será integralmente destinada às seguintes instituições: Comunhão e Caridade Ave Luz, em Natal, e Fundação Lar Celeste Auta de Souza, em Macaíba/RN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *